5 de jul de 2008

Nutrição na gravidez



Nutrição na gravidez


O ginecologista e obstetra Flávio Garcia de Oliveira acaba de lançar um livro cheio de dicas de alimentação para as futuras mães.
Confira uma entrevista em que ele nos dá algumas dicas:


Como a alimentação durante a gravidez pode influenciar no desenvolvimento e na saúde do bebê?
Bebês bem nutridos no útero nascem com o peso significativamente mais elevado e são mais saudáveis. Além disso, há evidências de que algum tipo de mecanismo de sobrevivência detecta quando o feto não está crescendo normalmente, o que pode acelerar o trabalho de parto. Ou seja: um bom crescimento intra-uterino pode reduzir a probabilidade de parto prematuro. Vale lembrar também que crianças alimentadas de forma adequada ainda durante a gestação não só têm menos doenças, mas se recuperam com mais facilidade de muitos problemas. O pré-natal é o período de crescimento mais rápido do nosso ciclo de vida. Por isso, uma alimentação de qualidade é o melhor caminho para que o bebê tenha uma infância e uma vida adulta cheias de saúde.

Quanto deve pesar um bebê considerado saudável?
Cada bebê tem um potencial genético para atingir um peso de nascimento, que vai de 2,5 a 3,5 kg – com variação de 200 g para mais ou para menos. Alguns fatores, no entanto, podem contribuir para que esse potencial não seja alcançado, principalmente se forem gêmeos ou trigêmeos: a duração da gravidez, a quantidade de espaço disponível dentro do útero, o grau de atividade física e a alimentação da mãe. Uma mulher grávida tem mesmo que se alimentar por dois, como costumamos ouvir por aí?Isso é um folclore para gestantes de um bebê só. Já para as grávidas de gêmeos e supergêmeos (três ou mais crianças), esse ditado é até válido desde que a alimentação seja balanceada e ela tenha um planejamento alimentar.


Qual é o ganho de peso considerado normal para uma gestante de filho único?
Nesse caso, a mulher deve ganhar algo em torno de 9 a 16 kg, o que permite ter um bebê pesando cerca de 3 kg. E no caso de serem gêmeos ou trigêmeos?Muitas mulheres só descobrem que seus gêmeos poderiam ser mais pesados depois que eles nascem muito leves e precisam ficar na UTI neonatal para ganhar peso. Pensando de forma simples: as gestantes de múltiplos precisam ganhar mais peso do que suas amigas de gestações únicas e um pouco mais do que elas mesmas imaginam. E também necessitam ganhar peso mais rápido, afinal, a gestação costuma ser mais curta. A recomendação, considerando mulheres com peso ideal antes da gravidez, é:
Únicos: de 9 a 16 kg
Gêmeos: de 15 a 22 kg
Triplos: de 18 a 25 kg
Quádruplos: de 20 a 30 kg

Existem nutrientes específicos indicados para as diferentes fases da gravidez?

Em cada trimestre da gestação, há um nutriente fundamental para o bebê. Nos três primeiros meses, por exemplo, a necessidade maior é de ácido fólico e de outras vitaminas do complexo B. Durante essas semanas, 70% dos nutrientes fornecidos ao bebê contribuem para o crescimento cerebral e o desenvolvimento neurológico. No segundo trimestre, deve-se consumir uma maior quantidade de fibras para evitar a constipação da mãe e ferro. Isso porque o volume de sangue aumenta 50% ou mais durante a gestação e, se o nível de ferro não corresponder a esse crescimento, pode ocorrer a anemia. Por fim, no terceiro trimestre, o foco muda para o cálcio e os ácidos graxos poliinsaturados, como o ômega-3. O cálcio ajuda no desenvolvimento dos dentes e ossos do bebê, além de ser um importante elemento na prevenção da pré-eclâmpsia (doença caracterizada por hipertensão e inchaço que afeta a mãe durante a gravidez). Já o ômega-3 é essencial para o desenvolvimento da visão e do sistema neurológico infantil.


Há algum alimento que deve ser excluído da dieta?

De modo geral, nenhum alimento precisa ser excluído totalmente. Nossa orientação é para a restrição de bebidas alcoólicas e carne de vaca crua (por causa do risco de toxoplasmose, um mal provocado por um protozoário capaz de prejudicar o feto). O senhor recomenda o uso de suplementos vitamínicos? Costumo indicar suplementos de ferro, cálcio e algumas vitaminas, como ácido fólico e complexo B, mais pelo fato de as brasileiras ingerirem poucos alimentos ricos nesses nutrientes..


O que são os alimentos que o senhor chama de campeões de nutrientes no livro?

Eles são o caminho mais simples de obter muitos dos nutrientes de que a grávida e o bebê necessitam. Receberam esse apelido com base em três critérios: alto teor de nutrientes, sabor e versatilidade como ingredientes de receitas. Frango, queijo, ovo, cenoura, ervilhas, proteína de soja, damasco, nozes e cacau são alguns exemplos.


O senhor tem alguma dica de alimentação para controlar os enjôos?
É um mito dizer que comer somente frutas vai melhorar as náuseas matinais. Embora elas elevem os níveis de glicose no sangue, o açúcar volta a cair rapidamente, causando ainda mais enjôo do que antes. Isso pode ser evitado associando proteína e carboidrato. É importante também se alimentar com freqüência, pelo menos a cada duas horas. Uma idéia é carregar na bolsa lanches empacotados, como biscoitos e sucos de caixinha. Uma nova estratégia para tratar náuseas e vômitos é o método do salgado e doce. Em outras palavras, comer um pão de queijo e tomar um suco pode ajudar muito.

Nenhum comentário: