13 de dez de 2010

Criança tem ciúmes?


Oi Meninas!
Quero compartilhar um pouquinho com vocês sobre crianças que tem ciúmes e dicas que aprendi para driblar esse comportamento.

O Pedro é uma dessas crianças. Ele não tem ciúmes do pai, nem da babá, nem das avós e avôs, primos e primas, amiguinhos... de ninguém mesmo. Ele só tem ciúmes de mim.

É um ciúme facilmente notado. Ele pode estar brincando feliz e distraído, mas se ver alguém me abraçando ele se grita pra largar e vem correndo para meu lado, principalmente se for outra criança ou o Pai dele.

Esse comportamento começou quando ele ainda era bem bebê. Com seis meses eu já notei os primeiros sinais. Ele chorava quando o Pai dele me abraçava, e até hoje ainda é assim.

Mas não é só do Pai que ele tem ciúmes. Ele compete a minha atenção com todos e até com as minhas atividades como computador, celular, televisão, revista e qualquer coisa que eu esteja fazendo que não envolva ele.
Acredito que esse comportamento é fruto da falta que eu faço aqui em casa com ele durante o dia, enquanto estou no trabalho. Quando chego em casa ele me quer só pra ele.
Eu amo isso, aproveito bastante eu confesso. Assim dá para eu ficar sempre grudadinha nele quando estamos juntos. Mas, também sei que preciso ensiná-lo a dosar essas emoções para que ele aprenda a dividir, para que ele não sofra.

Pesquisei e descobri que esse sentimento, nessa idade, tem fundamento e é normal. Até os três anos, a criança julga que ela e a mãe são um só. Isso faz muito sentido, afinal a pouco tempo ele estava na barriga e por muito tempo esteve no colo da mãe, as  bases da sua individualidade ainda não foram criadas; a mãe faz parte da própria criança, constituindo o centro do seu mundo afectivo e psicológico. Assim a criança é sedenta de um amor exclusivo, provocado pelo desejo de ser o único amor dos pais, logo este desejo pode ser sinónimo de ciúmes.

O que tem dado certo aqui em casa?
Para controlar esse sentimento do Pedro, tento redobrar a atenção que dou a ele enquanto estamos juntos. Tudo que vou fazer eu envolvo ele, para que ele não se sinta excluído ou deixado de lado. Ele adora me ajudar em tudo e percebi que isso tem sido positivo.
Outra coisa que tenho feito é não ceder a bronca dele nos momentos de ciúmes. Eu explico sempre pra ele, que a Mamãe gosta daquela pessoa, por isso está abraçando, por isso estou conversando com ela e que eu também o amo muito.
Percebi que o negócio é reforçar a autoconfiança deles e impor limites para essa dependência.
Acredito que com a entrada dele na escolinha, isso vai melhorar consideravelmente.

E você? Passa por isso? Conte sua experiência e como você lida com isso.
Beijos, Mey

2 comentários:

Larissa disse...

Olá Mey, tudo bem??? Andei sumidinha, mas voltei... o Davi nasceu!!! Vim aqui à procura de posts para me auxiliar e achei um sobre a rotina dos bebês que me ajudou muito... mesmo com 26 dias já faço um rotina com ele e tem dado certo... banho, mamá e cama!!! E tenho colocado ele pra dormir no berço desde o 1º dia, eu é quem durmo no quartinho dele e tem dado certo, graças à Deus...
Bom, é isso... rs
Bjo bjo

Carol Siqueira disse...

Nossa, amiga! Que dilema mais gostoso, hein?!
Mas olha só que engraçado, mesmo o Paulo Neto ficar muito grudadinho comigo ele não muito ciúmes, não...
Mas vc relatou bem, o Pedro fica assim porque você fica pouco tempo em casa e quando vc chega, pra ele, chegou A RAINHA DA VIDA DELE!!! Que gracinha!
Amiga, te amo muito :)
Bjim de Carol Siqueira.
www.falamamae.com