28 de mar de 2011

Mães na teoria

Olá Amigas!!!
Gostoso ter um tempinho para postar. Para ler meus blogs preferidos, comentar na maioria deles.
Hummmm, que saudades!

Já tem um tempinho que estou louca para postar sobre um assunto intrigante: gente que acha que a nossa vida de mãe é fácil, que vive julgados as nossas atitudes, medindo nossos comportamentos com nossos filhos e principalmente, não entendem de onde vem tanto cansaço. 
Venho pensando sobre como escrever sobre isso, até que nas minhas férias eu vi um programa muito legal no Discovery Home & Health, que se chama Mães na Teoria. Perfeito! O programa fala passa todas as sextas, às 21h e conta história de mães subestimadas que deixam suas casas por um fim de semana e são substituídas por parentes, amigas ou marido que acham que serão melhores do que as mães reais. O mais legal é que com todas as tarefas que a função envolve, essas pessoas descobrem que ser mãe é muito mais complicado do que acham.

É assim mesmo que acontece nas nossas vidas. Quantas vezes nós ouvimos aquele tanto de dicas: faz assim, faz assado? O que mais noto é que tem muita gente que já tem filhos crescidos e esquecem que um dia eles foram pequenos, que fizeram a mesma coisa e que provavelmente agiram do mesmo jeito que a gente, ou ficaram perdidas. Isso acontece muito, principalmente com mães, sogras, tias, avós, vizinhas e amigas próximas.

Enfim, o que todo mundo quer mesmo é ajudar, mas passa estrapolando, desrespeitando o espaço da mãe. Isso acontece ainda com mais frequência quando se é mãe de primeira viagem.  Eu mesma, vivo dando meus conselhos aqui, outros alí. O próprio blog é um exemplo disso.
O problema é que muitas pessoas passam poucas e boas por causa de certas "Mães na teoria", estão constantemente julgando, medindo, dizendo o que fazer, o que não fazer. Não passei por isso, graças à Deus tenho anjos na minha vida e não tenho ninguém que chega a esse ponto. Mas assistindo o programa, percebi o quanto isso pode ser sério e que deve existir limite entre a orientação e a intromissão.

Eu defendo que cada mãe deve escolher o melhor caminho para seus filhos e educá-los dentro do que seu coração de mãe diz. Acredito que para isso ela deve estudar, aprender, trocar experiências, mas principalmente deve seguir seus instintos.

Bom, é isso Amigas, saudades de estar aqui sempre.
beijos, Mey

3 comentários:

Carol Siqueira disse...

Amiga linda! Amei este post! É isso mesmo... Muitas pessoas se acham no direito de criticar porque muitas já foram mães também mas o que precisamos entender claramente que muitas coisas mudaram e mudam constantemente, sei que as vezes a forma de educar precisa ser tradicional mas muitas coisas não se adaptam mais pela nova cultura que vivemos e transmutamos a cada momento. Amiga, leia o livro que indiquei lá no blog: Limite sem Trauma. Vc vai amar!!!! Bjos de sua grande amiga de alma e coração, Carol Siqueira.

Sandra Hellen disse...

Concordo com vc! Só saber o que é ser mãe quem é mãe!
As pessoas sempre tem uma "solução perfeita" para os seus problemas,e se você não está conseguindo resolver é pq está fazendo errado...ser mãe de primeira viagem não é nada fácil!!!

Bjus

Irma Pasiani disse...

Concordo plenamente com você!
Com a chegada do bb nossa vida se transforma completamente.
Somos destinadas a cuidar daquele serzinho tão frágil que depende de nós para viver...
E nessas horas não faltam pessoas para dar "pitacos" em como devemos proceder...
"- dá banho dessa forma", diz a avó paterna
"- essa menina está mto magrinha", diz a tia da sua mãe

"- tem que segurar a cabecinha dessa forma", diz a sua cunhada...
Enfim, se você tem dúvidas se está sendo uma boa mãe, acaba entrando em depressão após ouvir tantos comentários... e o ponto de interrogação não sai da sua cabeça: "-Será que estou fazendo a coisa certa?"

É lógico que não devemos virar as costas para tudo o que vemos ou ouvimos, pois muitas dicas são válidas....

Custumo dizer para as minhas amigas que não existe certo ou errado.... o certo é o que você sabe fazer...
Como você mesma disse, sempre se informando, estudando e principalmente seguindo seu extinto materno....
Com certeza seu bebê estará em boas mãos.
bjss