12 de abr de 2011

Eu tenho síndrome de perfeição!

Arte de autor desconhecido

Olá Amigas queridas!!!

É sempre tão bom poder tirar um tempinho para postar, tempo esse tão raro na minha vida ultimamente. Cada dia que passa as minhas responsabilidade aumentam, a minha auto-exigência me toma e estou mais sem tempo.
Por falar em tempo, é justamente sobre essas coisas que quero falar hoje: a loucura que é nossas vidas, com tantas atividades, tantas coisas para fazer.
Uma rotina alucinante. Costumo comentar com meu marido que me sinto sempre em uma corrida de obstáculos para que tudo dê certo, para que todos fiquem satisfeitos. No final, me sinto exausta, eu confesso. 
A um tempo atrás eu achava o máximo o fato de ser uma pessoa multitarefas, exageradamente proativa, articulada e com muita empatia. Me orgulhava de conseguir dar conta de todos os "meus papéis". Realmente, faço mil coisas no meu dia a dia, e dentro de todos os meus papéis sempre arrumo tempo para fazer coisas que gosto e dar atenção para todos que necessitam. 

Mas a que custo?
Porque temos tanta coisa para fazer?  
Porque nos cobramos tanto?
Porque é tão difícil não fazer nada?
Porque é complicado admitir que não somos "super-mulheres"?

Tantos porques. Recebi algumas respostas no post da minha adorável amiga Carol. Minha companheira de questionamentos da vida feminina. A Carol postou no blog dela Fala Mamãe.com exatamente o que eu estava pensando, sobre a Síndrome da perfeição acesse e confira.
Quando li, me identifiquei perfeitamente com tudo. Quantas de nós não se sentem na mesma corrida inútil para agradar à todos, para se moldar aos padrões, para ser a  "the best", a mãe do mundo, a melhor filha, a melhor esposa, amiga sempre atenta, a profissional de alta performace. Isso tudo e ainda por cima, estar sempre bem-vestida, maquiada, em forma, corpo sarado e cabelos empecáveis.

Porque disso tudo? Porque insistimos em fadigar-nos para alcançar coisas que já são nossas pela promessa de Deus?
Ainda não sei. Sinceramente eu não tenho respostas. Mas estou buscando de Deus o direcionamento, porque muitas coisas podem ser respondidas por uma só frase: tudo é vaidade, como Salomão, um dos mais ricos e bem-sucedidos reis da Bíblia conclui em Eclesiastes 2:

“Então olhei eu para todas as obras que as minhas mãos haviam feito, como também para o trabalho que eu aplicara em fazê-las; e eis que tudo era vaidade e desejo vão, e proveito nenhum havia debaixo do sol” [Eclesiastes 2:11].


Não sei como devemos fazer para freiar a perfeição, a busca por tantas coisas que no final são vão. Admito que partilho dessa condição, e percebo que acomete a maioria das mulheres que conheço nessa vida.
O que sei é que a busca por Deus é o caminho para entender em que realmente temos que ser reconhecidos, o que realmente é prioridade e o que é vaidade na nossa vida.
Precisamos nos esfaziar de nós mesmos, entender a condição de sermos "humanas", cada uma com suas limitações, carências, dificuldades.

Entender que não ser perfeita em tudo não nos fará menos mãe, menos esposa, amiga, profissional inferior, ou até mesmo não fará com que sejamos desleixadas com nossas aparências. Precisamos apenas entender que isso tudo já nos foi acrescentado, e que a graça vem de Deus e não do esforço para ser tudo isso.

Espero entender tudo isso e praticar. Que o Espírito Santo me ajude instruindo pelo poder de Deus.
Amém!

Convido vocês para meditarem sobre Eclesiastes 2.
Com carinho de sempre, Mey

6 comentários:

line. disse...

Olá querida! Achei seu blog em um rápido passeio pelos blogs em que sigo, e resolvi entrar para dar uma espiada! Gostei mt, e estou te seguindo!
Olha, sei bem como se sente, tb tenho síndrome de perfeição, até ja escrevi um post sobre isso no meu blog. Parabéns pelo baby!

Danimi disse...

Ô minha amiga ...

Quanto fardo desnecessário, né?
Sei que Deus te dará todas essas respostas e mais: o descanso que só ELE pode dar.

Tem uma canção da Ludmila Ferber que fala sobre isso: "(...) É meu, somente meu, todo o trabalho; e o teu trabalho é descansar em mim (...)"

Vc já é perfeita amiga! Não precisa se esforçar mais!!!

Com amor ... Bjks, inté

Fabiana disse...

Mey, se te conforta saiba que eu também sofro dessa síndrome. Você não está sozinha amiga! Minha dica é: viver um dia de cada vez e pedir que o Espírito Santo nos ajude sempre! Bjo!

Deinha disse...

É amiga... com os planos que temos, tenho pensado nisso constantemente. Em como dar conta de tanta coisa sozinha, ou com menos ajuda do que eu gostaria de ter. Boa reflexão!
Bjos com saudades

Maria Betânia Fuller disse...

Parabéns Mey pela sua reflexão e me fez parar novamente para refletir, pois é, já parei por um momento, e quando percebi estava no mesmo caminho, e tenho me sentido cansada, mas muito, e percebido que como a passagem da bília que vc indicou VÃO. Vou refletir novamente, mas por outro caminho, ao invés de tentar entender por que sigo assim desta vez maneiras de como evitar e diblar essas atitudes que me infadam tanto, Deus me guie nessas descobertas.
Mey, nas minhas atualizações, quando clico em alguns posts, vem a mesagens do google que esssa página não existe, estranho??? Alguém mais te falou isso?
Beijos amiga bem grande.

Mamãe da Elô disse...

Olá Mey,
Gostei do seu post sobre Ser mãe despenteia e adorei! Já estou te seguindo.
Vi esse post e me identifiquei ainda mais com vc. Tenho passado por um momento muito dificil de cansaço, esgotamento fisico e emocional, e sempre me pego questionando: O porque de tudo isso?? Até onde eu quero chegar e Pra que tudo isso???
Tenho buscado em Deus essa resposta.

Bjos