4 de ago de 2012

Gravidinhas: cuidado com a Diabetes Gestacional

Oi Meninas gravidinhas!
Aqui estou eu, 28 semanas de gestação da minha Marina, pleno sábado de manhã e três horas de castigo em um laboratório para fazer o exame de curva glicêmica. Por isso, resolvi falar com vocês sobre a importância da prevenção na gravidez. Temos abordado bastante aqui temas sobre exercícios físicos, alimentação saudável e esse post é mais um alerta.
Vocês já ouviram falar em Diabetes Gestacional?
Pois é, esse é um mal que afeta cerca de 7% das mulheres grávidas e aparece depois do segundo trimestre e, uma vez diagnosticado, persiste até o fim da gestação. Corresponde ao aumento dos níveis de açúcar no sangue na gravidez.
Fique atenta! A partir da 24ª semana de gestação o organismo produz grandes quantidades de hormônios que ajudam o bebê a crescer e há uma maior necessidade do organismo em insulina. Se o pâncreas não produzir a quantidade de insulina necessária ou se esta não realizar a sua função adequadamente, a glucose sanguínea aumenta (hiperglicemia), dando origem à Diabetes Gestacional.
A hiperglicemia obriga o bebê a aumentar de tamanho e a produzir insulina. Não se preocupe a maioria das mulheres com Diabetes Gestacional, que seguem as recomendações médicas, tem bebês saudáveis.  Manter o nível de glicemia o mais normal possível permite evitar complicações, a si e ao seu bebê.

Motivos para observar: as futuras mamães com maior risco de virem a desenvolver Diabetes Gestacional são as que apresentam um ou mais dos seguintes factores:
  • Apresentam excesso de peso (IMC ≥ 30 Kg/m2).
  • Diabetes em familiares do 1º grau.
  • Tiveram um bebé com mais de 4,1 Kg (história de macrossomia fetal).
  • Idade ≥ 35 anos.
  • Multipartos (4 ou mais partos).
  • Antecedentes de Diabetes Gestacional.
  • Passado Obstétrico carregado (2 ou mais abortos).
  • Mamães que engravidam após 35 anos, por conta das alterações na placenta.
 Por que é importante fazer controle e vigiar os hábitos desde o início da gravidez?Felizmente, na maioria dos casos da Diabetes Gestacional o controle da glicemia poderá evitar a ocorrência de complicações (na mamãe e no bebê), mas fique atenta as complicações, pois caso não tratada pode causar os seguintes problemas:
  • Infecções das vias urinárias são mais frequentes nas grávidas com Diabetes Gestacional. Estas infecções são causadas por bactérias, que se desenvolvem mais facilmente quando o nível de glicemia é mais elevado.
  • As cesarianas são mais frequentes.
  • A hipertensão é a complicação mais frequente no decurso da gravidez.
  • A pré-eclampsia (poderá ter ouvido chamar-lhe toxemia ou hipertensão na grávida) é possível na Diabetes Gestacional. A pressão arterial elevada, proteínas na urina, edema da face, mãos e pés, e maiores ganhos ponderais, poderão também ocorrer.
  • O hidrâmnios, ou seja, a quantidade excessiva de liquido amniótico, que poderá levar a que o bebé nasça prematuramente, também pode surgir.
  • Macrossomia (bebê grande). Quando a glicemia é excessiva passa para o seu bebê. O seu bebê produz, por isso, mais insulina. A insulina e glucose excessivas levam a que o seu bebê cresça mais e seja maior que o normal. A macrossomia pode dificultar o parto normal e o bebê corre riscos de ter diabetes.
  • Hipoglicemia neonatal (nível de glicemia baixo). Se apresenta um nível elevado de glicemia durante o trabalho de parto, o seu bebé produzirá insulina adicional. Após o parto, a insulina adicional leva a que o nível de glicemia do bebê seja excessivamente reduzido.
  • A Icterícia (hiperbilirrubinemia). A Icterícia do recém-nascido é uma situação que faz com que a pele do seu bebê pareça amarela. Antes do parto, o seu bebé produz uma quantidade extra de glóbulos vermelhos. Após o parto, o fígado do seu bebê destrói este excesso de glóbulos vermelhos e elimina-os.
 Alimentação saudável exercícios físicos são a melhor forma de tratamento:
  • As pessoas com Diabetes necessitam de um planejamento das refeições para as ajudar a controlar a glicemia, uma vez que todos os alimentos são transformados em glucose. Os hidratos de carbono que existem em alimentos como o pão, arroz e frutas, são os que mais afectam a glicemia, mas as proteínas e as gorduras também podem contribuir para o seu aumento.
  • A ingestão excessiva de hidratos de carbono pode provocar hiperglicemias (níveis de açúcar no sangue elevados).
  • O seu médico e um nutricionista podem ajudá-la a aprender a controlar a glicemia e a criar um bom plano de nutrição para si e para o seu bebê.
  • Os exercícios físicos são muito importantes em toda a gravidez, em especial quando surge a Diabetes Gestacional. Converse com seu médico se no seu caso apresenta qualquer contra-indicação médica para a prática. Caminhadas leves a moderadas no mínimo 3 vezes por semana é uma ótima pedida.
Para as gestantes que agora se deparam com a Diabetes, o importante é aceitarem esta etapa sem alarmismos ou preocupações infundadas, porque a maioria das mulheres com Diabetes Gestacional têm bebês saudáveis. Basta verificar os níveis de glicemia, com regularidade e seguir as indicações de controle do seu médico. Então Meninas, é isso! Tenho só mais uma picadinha para terminar o exame e logo na minha próxima consulta saberemos o resultado. Acredito que está tudo bem, visto que estou andando direitinho na linha da boa alimentação e exercícios físicos.
Bom fim de semana para vocês! Muita saúde para desfrutar inteiramente de cada minutinho desse momento lindo que é a gestação.
Você já teve Diabetes Gestacional? Compartilhe com a gente dicas de controle e como foi sua experiência.
 
Bjos, Mey

Nenhum comentário: