13 de ago de 2012

Leitora: "Nove anos de espera e dois filhos em dois anos e meio."



Oi Amigas!

Nada melhor para começar a semana do que uma estória de milagre, não é mesmo? Há mais de 2 anos e meio atrás nós contamos aqui no blog a estória da Dani, minha amiga e dona do Danimi Blog.

A Dani é uma mulher de muita fé, exemplo de relacionamento próximo com Deus e há muitos anos tem me inspirado com sua perseverança. Resumindo a estória dela é que por 9 anos ela e o esposo oraram e esperaram por um bebê, após muitas tentativas frustadas e de forma muito especial, Deus trouxe seu primeiro filho - o Davi.

Nesse novo post a Dani traz para a gente o relato de mais um milagre - a pequena Eduarda, sua segunda filha e a segunda grande oportunidade de experiência profunda e cuidado de Deus.

A bíblia traz relatos de muitas mulheres que por crerem em Deus tiveram seu pedido atendido e foram felizes mães de filhos gerados por milagres. É muito bom ver que Deus tem agido nas nossas vidas da mesma forma que Ele prometeu em Sua palavra.


Acompanhe essa estória e se inspirem:

Oi gente! Meu nome é Daniela Inácio, mas muitos me chamam de Danimi. Nasci em 24 de Agosto, sou caçula e temporã, trabalho fora, sou muito bem casada, blogueira desde que ter blog não era moda e tenho dois filhos: DAVI e EDUARDA, que são meus milagres e maior alegria da minha vida. Fui abençoada duas vezes com a maternidade e é justamente sobre a chegada da Eduarda que venho dessa vez compartilhar com vocês.

Filhos são bençãos! Deus não poderia preparar um presente melhor pra nós, mulheres. Gerar uma criança e ver seu desenvolver a cada dia, nos recompensa cada noite mal dormida, cada refeição perdida, cada coisa que abrimos mão pelo bem estar de nossos filhos.

Para quem começou a me seguir a pouco tempo, e pra relembrar os seguidores de longa data, preciso dizer que durante 9 anos buscamos uma gravidez e não conseguíamos.

A benção que foi conceber e dar a luz do DAVI eu conto aqui no BBPontoCom e conto detalhadamente o milagre no dia do nascimento dele no meu antigo blog Danimi.
Leu?
Então... depois de tudo isso que conto nos posts, qual não foi a minha surpresa ao me deparar com o exame de gravidez positivo, a espera da EDUARDA!!!!

Naturalmente grávida. Eu que chorei durante 9 anos seguidos e em 2 anos e meio me tornei MÃE de dois filhos. Glória a Deus por isso!

Mas deixemos de falação e vamos ao fato em si.
Como o Davi nasceu de 35 semanas, e meu corpo não faz alardes com o trabalho de parto (juro que não sinto nada), minha obstetra resolveu acompanhar bem de perto, fazendo exames de toque a partir da 29ª semana, para ver a espessura do colo do útero.

Foi nesse exame na 29ª semana que ela me colocou totalmente de repouso, pois o colo do útero estava muito fino. Tomei injeções de corticóide pra acelerar a formação dos pulmõezinhos da Eduarda.
15 dias depois, na manhã da 31ª semana, senti um leve desconforto nas costas. Creio que se eu estivesse em atividade normal eu nem teria percebido. Mas como eu estava na cama, sem fazer nada, eu acabei percebendo mais fácil.

Com o desconforto liguei pra médica que pediu que eu fosse ao consultório logo depois do almoço, pra ela me examinar. Nem almocei. Não tinha apetite. Tinha medo. Medo da minha filha ir para o UTI. Medo da minha filha ficar com sequelas. Medo de morrer e deixar meus filhos. Medo.

Nem sempre é possível sermos fortes.
Nem sempre é possível ter a fé inabalada.
Mas sempre temos Deus conosco!!!

Cheguei no consultório às 13h. A médica atrasou e ainda atendeu duas mulheres na minha frente. Minha ansiedade aumentou consideravelmente quando comecei a sentir as contrações (coisa q não percebi no parto do Davi e até então não tinha sentido no da Eduarda).
Quando entrei e ela me examinou, diagnóstico temido: vamos para o Centro Cirurgico. Eu estava com 6 cm de dilatação. Chorei. Medo, lembra? Tremi o corpo todo. Chorei muito.

Voltei em casa pra pegar as nossas malas e me despedir do Davi.
Eu, que ja estava chorosa, quase não consegui beija-lo na hora do "tchau"...

Fui pra maternidade.
Eduarda nasceu grande pra idade gestacional: 43 cm e 2,100kg. Mas por causa da imaturidade de um dos pulmões, foi pra UTI. Ela respirava sozinha, mas com desconforto. Os médicos colocaram oxigênio (mas sem entubar graças a Deus) no narizinho dela. E também passaram uma sonda pela boca, até o estomago, pra ela poder se alimentar.

Meu bebê estava bem, mas na UTI. Chorei.

Eu sabia que todos estavam em oração por nós e foram essas orações que nos sustentaram e deram força durante os 28 dias que ela ficou lá: Com 10 dias tiraram o oxigênio, mas a sonda do estomago só foi retirada com 20 dias porque ela não tinha interesse em mamar. Ficou mais 8 dias pra tomar antibiótico na veia, já que na UTI ela pegou infecção urinária. Não limparam direito? Quem sabe? O fato é que somaram 28 dias.

E isso, mas no final tudo deu certo e eu conto para que, quem passar por isso tenha a esperança de que Deus intervirá e o final será feliz. Muito feliz!!!

Dá uma olhada na benção que ela está:


Ela lutou e venceu.
Eu clamei e recebi.
Nossa família depende de Deus e recebe bençãos.

Uma boa semana pra vocês. Que venham muitos milagres sobre a vida de cada um.
Bjks, inté.

Danimi do http://danimi-blog.blogspot.com.br/

2 comentários:

Amor de Mãe disse...

Só quem passa por dificuldade para ter um filho que sabe a luta que é, que Deus seja louvado por esses dois milagres lindos, bjão.

Danimi disse...

Graças a Deus por eu poder ser canal de benção na vida das pessoas, gerando esperança, fé e crença no poder dEle.

Muito obrigada minha amiga, por abrir seu meio de comunicação com o mundo, para que as pessoas saibam o que Deus fez e faz na minha vida. E, ainda, o que Ele pode fazer na vida de cada um dos seus leitores.

Deus te abençoe sempre.

Beijão.

Danimi