30 de nov de 2012

Usar andador ou não?



Oi Gente!

Hoje vou fugir um pouquinho dos posts de recém-nascido, afinal esse tem sido o meu mundo agora. A pedido da minha amiga e seguidora do blog, Márcia Oliveira, vou falar de um assunto muito polêmico, o uso de andador.

Eu vou logo dizendo que usei com meu primeiro filho e sou a favor. Na fase dos 8, 9 meses em diante a necessidade deles se locomoverem é enorme e ficamos exaustas de andar com eles para lá para cá. sem contar que estão pesados para colo.
Tem muita gente contra e a favor, mas essa questão vai muito além, é uma questão ampla de segurança do bebê.

O andador infantil está sempre no centro de polêmicas quanto aos seus benefícios e malefícios. Mas não é tão simples para que seja classificado como bom ou mal à criança. O fator principal está nos riscos de graves acidentes.

A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) realizou um estudo com 40 crianças (metade usou andador e outra metade não) e concluiu que o andador não traz benefícios e nem prejuízos quanto ao desenvolvimento motor da criança, mas sim muitos riscos que podem ser evitados.

Segundo Marisa Mancini, orientadora do projeto do Departamento de Terapia Ocupacional da UFMG, a principal restrição ao andador diz respeito ao alto número de acidentes graves que ele pode provocar, mas percebemos que isso é consequência da negligência dos pais.
Independentemente do uso do andador, devemos estar sempre atentos aos nossos filhos nessa fase de exploração e descobertas.

Muita atenção e supervisão é fundamental: com os filhos colocados dentro do aparato, os pais se consideram mais tranquilos para que possam fazer a comida, passar roupa, falar ao telefone ou assistir televisão, deixando-os sozinhos. Engano grande. Com o andador, a atenção deve ser redobrada.

Risco de traumatismo craniano: o grande motivo para a eliminação desses andadores é o grande números de acidentes graves envolvendo crianças e andadores. A maioria das crianças que se acidentaram com o andador sofreu traumatismo craniano e, em alguns casos, faleceram.
Os andadores em que a crianças ficam sentada no meio com os pezinhos empurrando o utensílio podem chegar à velocidade de 1 metro por segundo. Qualquer objeto que trave a sua rodinha, um simples chinelo, por exemplo pode tombar o andador e a primeira parte do corpo a ser projetada ao chão é a cabeça.

Eu acredito que os pais devem fazer sua avaliação, mas se a opção é por usar o andador, seu uso deve ser sempre supervisionado e com tempo limitado para que a criança possa explorar o seu ambiente de formas diferentes, se desenvolvendo bem tanto motora como cognitivamente.
Nada de deixar a criança o dia todo ali, seria sim um esforço prejudicial para sua formação, acredito que no máximo uma a duas horas por dia, com períodos intercalados não faz mal.
Outra coisa que reforço é quanto a segurança, nunca deixe seu filho sozinho no andador, nem por um segundo, assim você evitará acidentes e a diversão estará garantida!

Bom gente, é isso que tenho para compartilhar. Para esse post pesquisei no site O pediatra, que é sempre muito esclarecedor. Espero que tenha esclarecido minha amiga Márcia e todas as minhas seguidoras que tem dúvidas sobre o assunto.

Beijos, Mey

Vejam os modelos, cada um mais lindo qu o outro:










2 comentários:

marcia disse...

Mey, muito obrigada pelo post. Como sempre muito esclarecedor e didatico. Amei as dicas.

mil beijinhos
Márcia

marcia disse...

Mey

Muito obrigada pelo post. Como sempre foi muito esclarecedor e didático. Amei as dicas.

Beijinhos
Márcia