23 de fev de 2010

Confiança: o segredo para o ajuste emocional

Olá pessoal, completando o assunto sobre o temperamento de nossos bebês, vou compartilhar a continuição do assunto que abordei no post de ontem. Os trechos são praticamente todos do livro: A encantadora de bebês que citei ontem. É muito interessante e vale a pena dedicar tempo para ler e principalmente colocar em prática.

Inicialmente, a vida emocional de qualquer bebê é expressa por meio de emoções puras, sobretudo dos diferentes tipos de choro e das intereções com você (principalmente nos bebês que ainda não falam). Essas são as primeiras experiências de comunicação e contato, o crescente apego dele a você.
Por exemplo: quando ele murmura e sussurra para você, está tentando se relacionar e puxar conversa, para mantê-la envolvida e atenta (um processo chamado por "prontoconversa"). Porém, são necessárias duas pessoas para manter a continuidade da dança social e emocional, e para issosua resposta é fundamental. Quando você sorri em resposta aos sorrisos e balbicios dele, ou o conforta durante o choro, ele sabe que você o apóia: este é o ínicio do processo de confiança.


Olhando por essas lentes, você entenderá porque o choro é algo bom; ele significa que o bebê espera que você responda. Por outro lado, diversos estudos mostraram que bebês negligênciados param de chorar em um certo momento. É inútil chorar se ninguém vem confortá-lo ou sanar sua necessidades.
Tem pais e mães que podem achar isso o máximo, ter um bebê que não chora pode ser o sonho de consumo de alguns pais. Porém, temos que aprender a valorizar os sinais que nossos filhos nos dá, inclusive o choro. 


A confiança estabelece as bases para o ajuste emocional do seu filho, nos próximos anos, a capacidade de entender as próprias emoções, o autocontrole e respeito pelos sentimentos das pessoas. E uma vez que as emoções podem fortalecer ou inibir o intelecto da criança e seus talentos especiais, a confiança também é a base do aprendizado das capacidades sociais. Vários estudos aos longo prazo mostraram que as crianças que tem relacionamento fomentadores, com pessoas com as quais podem contar, mostram menos problemas de comportamento na escola, são mais autoconfiantes, desenvolvem curiosidade em relação ao mundo e sentem-se motivadas a emplorá-lo (porque sabem que você estará presente para ajudá-la se ela cair). Também são mais capazes de interagir com os colegas e adultos do que as crianças que não criam laços fortes como o início, porque suas primeiras relações mostraram que é possível confiar em outras pessoas.


Como estabelecer essa confiança com os nossos bebês?
A confiança é desenvolvida quando você entende e aceita o temperamento do bebê. O limite e a reação emocional de cada criança são diferentes. Em uma nova situação por exemplo,  e mais provável que um bebê Anjo, Livro-texto ou Enérgico (veja post abaixo que falamos sobre os cinco tipos de temperamento) se adpte rapidamente, enquanto um bebê Sensível ou Irritável.pode ficar perturbado. Os bebês Energéticos, Irritáveis e Sensíveis revelam suas emoções, comunicando em alto e bom tom o que estão sentindo. Os bebês Anjo e Livro-texto acalmam-se facilmente, mas os bebês Sensíveis, Energéticos e Irritáveis  as vezes parecem inconsoláveis. Independente de como as emoções do bebê se manisfestam, nunca tente forçá-lo a sentir algo diferente ("Ah não, não precisa ter medo") ou incitá-lo a não ser ele mesmo. Na verdade algumas das nossas atitudes vem da nossa resistência em aceitar o temperamento de nosso filhos e querer mudá-lo. Portanto, aceitar e aprender a lidar com o temperamento de de seu filho é o primeiro passo para que ele confie em você.


Todos os bebês precisam ter seu choro e suas necessidades atendidas, porém os SENSÍVEIS, ENÉRGICOS e IRRITÁVEIS são mais difíceis que os outros. Eis aqui alguns lembretes para papais e mamães de bebês com esses temperamentos:


SENSÍVEIS: proteja o espaço dele. Analise o ambiente e tente imaginar o mundo por meio dos seus olhos, ouvidos e peles sensíveis. Qualquer tipo de estimulação sensorial - uma etiqueta que encomoda, som alto da TV, uma lâmpada muito forte, calor, frio, etc - pode comprometer sua tranquilidade. Para isso:
  • Ofereça apoio frequente nas novas situações de vida, mas tente não perseguir o bebê o tempo todo, porque isso aumenta ainda mais os seus medos.
  • Explique tudo o que irá fazer - trocar a fralda ou preparar um passeio de carro -, mesmo que ache que a criança não está entendendo.
  • Forneça reafirmação nas novas situações, para que ela sabe que você o apóia. Porém deixe-o assumir os comando as vezes, a criança Sensível sempre surpreende.
  • Socialize-o com outras crianças (calmas de preferência).
  • Siga uma rotina de sono, alimentação, brincadeira - isso ajuda mutio o sentimento de confiança e segurança.
ENÉRGICO: Não espere que ele fique sentado por muito tempo. Mesmo enquanto bebês, essas crianças precisam mudar de posição e de cena com uma frequência maior que os demais. Para isso:
  • Forneça muitas oportunidades de brincadeiras ativas e de explosão segura, mas cuidado para não haver superestimação.
  • Lembre-se de que quando ele está cansado as emoções tomam conta dele. Observe os sinais de sobrecarga e tente evitar os escândalos, que são mais difíceis de interromper em bebês Enérgicos.
  • Se uma distração não fizer efeito ele está prestes a explodir, retire-o do local até que se acalme.
  • Seus parentes e outras pessoas que cuidam dele também devem enteder e aceitar sua intensidade.
  • Estabeleça uma rotina de brincadeiras e atividades que estimule o seu bebê na medida certa.
IRRITÁVEL: aceite o fato de que ele pode não sorrir ou rir tanto quanto os outros bebês. Apresente oportunidades para ele usar os olhos e os ouvidos não apenas o corpo. Ele pode ficar frustado com brinquedos ou emoções desconhecidas. Para isso:
  • Tome cuidado nas transições. Se ele estiver brincando e for chegada a hora da soneca, avise-o antes ("Está quase na hora de guardar os brinquedos."), e espere alguns minutos para que a crianças se acostume com a idéia.
  • Comece a socializá-lo com apenas uma ou duas crianças de início.


Exterminadores de CONFIANÇA
Aqui estão os erros mais comuns que nós  pais cometemos com os nossos bebês  e crianças mais velhas, que podem comprometer a confiança.


  • Não respeitar, - ou pior, negar - os sentimentos da criança.
  • Forçar o bebê ou a criança a comer mais, quando ele já está satisfeito.
  • Tentar convencer a criança a mudar de idéia quando ela tem um desejo.
  • Não se comunicar (mesmo antes do bebê falar você já deve estabelecer ´diálogos com ele.)
  • Introduzir novas situações, como um grupo e brincadeiras, sem avisar e então presumir que o seu filhos se adaptará bem.
  • Sair de fininho de casa para evitar que ele chore (por exemplo: para trabalhar, fazer compras, estudar, etc)
  • Dizer uma coisa ("Você não pdoe comer doces") e fazer outra coisa na primeira oportunidade.

2 comentários:

Carol disse...

Mey,
Estou amando ler os seus posts sobre o temperamento de nossos bebês e melhor, dando dicas para nós mamães lidarem com os seus filhotinhos.
Parabéns pelo excelente conteúdo que vem postando e sou sua fã sempre.
Bjos de Carol Siqueira.
www.falamamae.com

Fernanda F. Tavares disse...

Mey,
Parabéns pelo blog!! Sou sua seguidora desde o inicio...inibida para comentar mas sigo tudinho rsrs. Estou amando o que vc vem falando sobre o temperamento dos bebês... O Vinícius esta com 5 meses e meio e as vezes me assusto com sua força de vontade em se comunicar e interpretar tudo que faço para ele. É incrível a relação mãe e filho, a comunicação é perfeita, basta dar atencão aos nosso filhotes, se atentar as suas necessidades que o resto flui conforme a natureza perfeita de Deus. Parabens Mey!!
Bjos Fernanda F. Tavares