28 de fev de 2010

Meu bebê já tem 1 ano e meio

O Pedro completou 1 ano e meio de vida.
E eu não sei descrever em palavras o que é ser mãe de uma figura como ele é.
Meu filho é adorável, inteligente, meigo, atencioso, carismático e tem uma essência muito, muito cativante. Eu que achei com minha arrogância que ensinaria muita coisa para ele, hoje me vejo aprendendo dia após dia uma coisa nova.


Deus colocou o Pedro na minha vida para me ensinar mais sobre o amor. Nada nem ningúem nesse mundo pode fazer melhor isso que um filho. Eu aprendi a verdadeira essência de amar que é a doação, que é a espera, a paciência e a incapacidade em alguns momentos.
Ele é meu, mesmo que emprestado por Deus, mas é meu. Todos os dias me dá prova disso, a cada "Mamãiiiii" que ele fala. É uma relação muito intensa, as vezes pergunto a mim mesma, ao vento, a Deus: "O que eu fiz pra merecer todo esse carinho?".


O Pedro não desgruda de mim, nem eu dele. O tempo que estou em casa ele fica de olhos fitos no que faço, no que digo. Se estou calada ele vem: "Mamãiii?", como quem pergunta: "Tá tudo bem?". O tempo todo ele me dá atenção, cobra atenção, e tem horas que ele fica tão grudada que tenho a impressão que quer entrar dinovo pra dentro de mim.
É um tagarela. Fala um monte de coisas, repete o que a gente fala e tem em seu repertório um monte de "não quê" para tudo que a gente pergunta. Está na fase do não. Que gracinha, as vezes pergunto as coisas só pra ouvir ele falar isso.


O desenvolvimento dele é impressionante, ele já anda a meio ano, isso faz com que ele já corra para todo lado, dê pulos, desça e suba escadas, as camas e qualquer obstáculo para ele é nada. Ele tem uma habilidade motora muito ágil e isso me deixa louca. Não há limite para ele fazer as coisas que gosta. Esses dias ele subiu a escada do parquinho sozinho e desceu o escorregador. Fui deixando pra ver até onde ele ia. Tenho que ficar sempre por perto ou a babá. Mas eu amo esse jeito elétrico, inteligente, curioso dele.
Tenho maior orgulho do tanto que ele é uma criança esperta, ativa, empolgante. É a alegria da nossa vida!
A luz que ilumina tudo aqui em casa.
É nosso TUDO!

 







Para não perder o costume, veja o que encontrei em minhas pesquisas sobre o bebê de 1 ano e meio:


Todas as coisas legais do mundo pertencem ao seu filho nesta idade, sejam as chaves do seu carro, o bichinho de pelúcia do irmão, o sapato do pai, o escorregador do parquinho. Vá ensinando a ele como dividir as coisas, sempre elogiando quando ele emprestar alguma coisa ou deixar outra criança brincar primeiro. Quando estiver contando uma história ou assistindo a um desenho, aponte os exemplos de pessoas dividindo as coisas. Mas tente não dar muita bronca quando ele não quer emprestar -- você pode deflagrar a tão famosa teimosia desta idade, e aí é que ele não vai ceder mesmo.


Seja na hora de dormir ou quando está relaxando, crianças de 1 ano e meio costumam ter estratégias para se acalmar. Pode ser um boneco ou paninho preferido (o chamado objeto transicional, ou de transição), mas às vezes é enrolar o cabelo com os dedos, se balançar ou chupar o dedo. Na maioria dos casos eles abandonam esses hábitos até os 4 anos, por isso não há necessidade de se preocupar por enquanto, vá tirando aos poucos, principalmente hábitos como chupeta e o dedo, se seu filho tem esse hábito é hora de começar a tirar.
Continue firme na rotina, são os pais que decidem a hora que a criança deve dormir, se alimentar, brincar.
Essa é a fase das descobertas. A criança quer saber sempre o que há dentro, atrás, embaixo de tudo o que vê. Se há alguns meses ela se contentava em esvaziar a gaveta, agora ela vai tentar colocar tudo de volta para ver se cabe.




Movimentos amplos ainda superam a coordenação motora fina, porque crianças de 1 ano e meio não têm paciência de ficar paradas fazendo atividades que exijam a habilidade das mãos. Algumas podem ser atraentes: pintura com os dedos, colorir com giz de cera, fazer torres com bloquinhos, abrir e fechar portas e, claro, apertar todo e qualquer botão que aparecer pela frente.
Um telefone ou controle remoto que não estejam mais funcionando podem servir de brinquedo. Colocar uma coisa dentro da outra é fascinante. Existem quebra-cabeças de madeira (em que formas se encaixam no baixo relevo) ótimos para essa fase. Um dos sinais de que a destreza manual dele está melhorando é que ele já consegue segurar um copo sem tampa e beber sem derramar (muito...).


Para melhorar o vocabulário uma boa idéia este mês é ouvir música e cantar junto com seu filho. As letras de música são uma ótima fonte de novas palavras para o vocabulário dele, que não pára de crescer. Não corrija palavras que ele pronunciar errado. Apenas as repita do jeito certo. Se ele pedir "bicôco", você diz "Olha aqui o seu biscoito". Com essa idade as crianças sabem pelo menos uma dúzia de palavras, e a maioria consegue juntar duas: "Cadê bola?" ou "Qué colo!". Caso seu filho ainda não fale pelo menos duas palavras, não deixe de mencionar isso para o pediatra na próxima consulta. Uma possibilidade é fazer uma audiometria para ver se ele está ouvindo bem. Saiba, porém, que há crianças que demoram mesmo mais para falar, assim como há as que andam ou engatinham mais tarde.




Não, não e não. Anda ouvindo muito essa palavra ultimamente? Por um lado, ela sai da sua boca a cada minuto, na tentativa de evitar algum desastre. Por outro, seu filho adora dizê-la para desafiar você. Conforme ele vai ficando mais autoconfiante, as vontades aparecem com mais força. E a você cabe decidir quando o "não" é absolutamente necessário (ele quer subir numa cadeira para mexer no fogão, por exemplo), ou quando você pode deixá-lo tentar (se ele insiste em fechar o cinto da cadeirinha do carro sozinho) por um tempo, até ver que não consegue.


Para evitar os ataques de birra, você pode usar algumas estratégias. Os chiliques sempre acontecem na hora em que você está mais ocupada, e com pressa. De manhã, por exemplo, experimente levantar 15 minutos mais cedo para fazer as coisas com calma.


Se tiver que sair com seu filho, prefira horas em que ele esteja descansado e alimentado. Leve um livro ou um brinquedo favoritos para a sala de espera do médico. E arme-se de paciência porque você nunca conseguirá evitar todos os ataques de birra -- eles são parte integrante das crianças desta idade e não perca a chance de curtir todas as fases com seu filho, até essas são extremamente importantes e você sentirá falta quando ele não for mais pequenino.


É isso amigas, meu bebê já está virando um mocinho... agora vou entrar em uma fase de coisas bem importantes que são: tirar a fralda (pelo menos diurna), trocar a mamadeira pelo o copo (já podia ter feito isso) e tirar o bico. Vou contando tudo aqui para vocês.


beijinhos... amanhã vou para São Paulo, mas volto no fim do dia, se der posto mais... Mey

5 comentários:

Carol disse...

Mey,
Senti cada palavra escrita aqui por você e Deus confiou os nossos filhos a nós, temos uma responsabilidade grandiosa em criá-los com muito amor e carinho.
Desejo ao Pedro muita saúde, muito sorrisos, muita alegria em cada dia da vida dele e que ele construa um lar de amor dentro dele. Porque o sucesso está aí, ser e fazer as pessoas felizes com humildade e sabedoria.
Tudo que eu desejo ao meu filho desejo ao Pedro também. Você também é uma pessoa maravilhosa e merece viver tudo isso.
Bjos de sua amiga Carol Siqueira.
www.falamamae.com

Carol disse...

Amiga!
Cadê você????
Estou sentindo a sua falta. Eu vi que vc me ligou e depois eu retornei a sua ligação mas vc não atendeu.
Aparece, me dá notícias. Estou preocupada.
Bjos de Carol Siqueira.

Andrezza disse...

Aaaaaaiiiiiiiiiii, que blog gostoso de ler.... tem tudo aqui... amei amei amei.... Parabéns!!! ótimas suas postagens

Danielle Tosto disse...

Olá estava procurando algo sobre.o comportMento do meu bb e achei sei blog. Achei o Pedro lindo pacecido com meu Miguel lourinho. As fotos são lindas. E as descrisções tambem. Felicidades e muita saúde pro Pedro.

Susyanne Araújo disse...

Ola, Mey! Gostaria de tirar uma dúvida com você: seu filho é do tipo energético? Pelo que li nesse post ele é uma criança muito dócil... Li o livro da Tracy Hogg e fiquei bastante assustada quando percebi que meu filho se encaixava nessa categoria! Meu maior medo era ele se tornar uma criança agressiva e dada a escândalos, mas vi que não vai ser assim necessariamente! Seu filho ainda apresenta alguma daquelas características ou já mudou completamente? Me ajuda, por favor! Fiquei até meio triste só de pensar o que posso ter que enfrentar no futuro... Beijo.