20 de mai de 2010

Sol, praia, sombra, água fresca e muito amor.

Foram maravilhosos os nossos dias de férias.
O Pedro aproveitou bastante e tivemos um tempinho para curtir só nós três, bem juntinhos. Confesso que para nós foi escaldante, cansativo do ponto de vista físico, mas para os  nossos coração foi a melhor coisa do mundo, demos e ganhamos muito, muito amor.
Para o nosso pequeno tudo foi novidade. Ele viajou de avião pela primeira vez, conheceu o mar e  não gostou nadinha da areia entre os dedinhos, não quis nadar na água salgada e brincou muito, mais muito mesmo. Vi que muita coisa faz parte das experiências dele e que para ele foi estranho e delicioso essas novas sensações. A adaptação é uma coisa incrível, no último dia de viagem ele já estava pisando na areia sem perceber e dominando onde queria ir e vir.

Que lindo foi vendo ele correr, juntar conchinhas, brincar com areia, pedir para ir na piscina, para balançar na rede, que gostoso ver ele se comunicar com a gente e com o mundo.

Dias maravilhosos! Obrigada meu Deus!




Para o sucesso das férias com um bebê na praia a primeira coisa é escolher um hotel que tenha estrutura apropriada. Apesar de ter gostado da Praia Cabo do Santo Agostinho, não gostei muito do Resort que ficamos - Vila Galé Cabo do Santo Agostinho, eu não gostei nadinha da estrutura para bebês, saí de lá bem frustada e não recomendo. Por isso, antes de colocar o pé na estrada com seu pequeno certifique-se quanto a infraestrutura do local: copa para mamãe, baby room, babá do hotel para aquele descanso merecido, atividades direcionadas para bebês e um restaurante que entenda a sua necessidade específica. Isso é bem básico, tem lugares muito completos aqui no Brasil, certifique-se de tudo antes, não confie só na indicação da agência.

Para ter sucesso na praia com o bebê o mais importante mesmo é respeitar a rotina dele. Nada de querer ficar o dia todo na praia, escolher as praias mais badalas, colocar ele numa areia duvidosa e forçar uma entrada no mar. O importante mesmo é ter bom senso, cuidar da alimentação, dar muita água para ele, evitar o sol e passar muito, muito protetor solar.

Vai aqui umas dicas do que não pode faltar na sua sacola de praia:

• Bolachas de água e sal, maisena ou leite, e biscoitos de polvilho: são comidinhas pouco enjoativas para matar aquela fome básica que a criança tem no meio da manhã ou da tarde.
• Balde, pás e brinquedos de areia: Para os bebês que já sentam, é um passatempo que nunca sai de moda. Se você vai para uma praia movimentada, deixe para comprar os brinquedos lá, em vez de entulhar ainda mais o porta-malas do carro.
• Chapéu ou boné: Indispensável para proteger a cabeça do bebê, mesmo que ele esteja debaixo do guarda-sol e com protetor solar.

• Fraldas: Não dá para o bebê ficar muito tempo sem, já que a areia e a água podem irritar a delicada pele do bumbum. Mesmo que só vá ficar um pouquinho na praia, leve fraldas extras, porque, se ele fizer xixi ou cocô e não for trocado logo, as chances de assadura debaixo do calor são maiores. E, se for entrar no mar, existem fraldas especiais que não desmancham na água como as outras.
• Frutas: Saudáveis, matam a fome sem que você precise sair correndo na hora do lanche do bebê.
• Água, suco de frutas ou água de coco: É imprescindível que as crianças bebam líquidos para evitar a desidratação. Também vale a pena levar garrafas com água doce para tirar a areia do bebê ou limpar sujeira de comidinhas.
• Isopor ou sacola térmica: Servem não só para conservar a temperatura de bebidas e alimentos, mas evitam também que se deteriorem (só lembre de colocar junto um saquinho bem vedado com gelo ou uma forma de gelo em barra própria para isso). O melhor é não misturar itens gelados com quentes, pois tendem a neutralizar a temperatura um do outro.
• Lenços umedecidos: Um grande aliado das mães nas trocas de fraldas, podem ser usados também para limpar mãos e pés sujos de areia na hora do lanche ou antes de partir para uma soneca.
• Piscina inflável: Você vai levar o bebê para molhar o pezinho na água do mar de tempos em tempos, só que não tem como protegê-lo do sol. Por isso a piscina inflável quebra o galho e refresca bastante crianças que já conseguem se sentar. Mas é preciso ficar junto o tempo inteiro e ter muito cuidado com a quantidade de água que se coloca (deve ser só um fundinho). Afogamentos de bebês podem ocorrer rápido, mesmo em uns poucos dedinhos de água.
• Filtro solar: Até debaixo do guarda-sol em um dia de mormaço o reflexo solar pode queimar o bebê. O fator de proteção solar deve ser de no mínimo 30, e o ideal é usar um tipo que não saia na água. Passe a primeira camada meia hora antes de chegar à praia. Protetores solares são recomendados apenas para bebês de mais de 6 meses.
• Toalhas: Leve mais de uma, para que possa secar o bebê e ter uma extra se precisar improvisar um cantinho limpo quando o sono bater (pode ser uma canga também).
• Trocador de plástico impermeável: Ele garante a higiene da troca em locais onde não há uma superfície própria para isso (como banheiros públicos ou de restaurantes). Mas evite trocar a criança na própria praia, para evitar o contato do bebê com as bactérias da areia.
• Repelente: Dependendo do lugar para onde vai, o repelente pode ser fundamental para conter o "ataque" de insetos ao bebê. A única precaução é não aplicá-lo em crianças com menos de 6 meses, porque algumas substâncias químicas da fórmula podem provocar reações alérgicas na pele do bebê.
• Papete ou sandália de dedo que prenda no pé: Se seu filho já anda, esse tipo de sandália ou chinelo, feitos de materiais que não encharquem (como borracha ou neoprene), pode facilitar explorações e proteger os pezinhos da criança mesmo dentro da água, principalmente se você estiver em praias onde haja piscinas naturais com coral. A dica vale também para os adultos.

6 comentários:

krika alves disse...

adoro o blog, sempre que acesso a internet passo por aqui.
sou mãe de primeira viagem, tenho 20 anos e, às vezes fico meio perdida em relação ao que fazer com o bebê.
leio as postagens e me sinto bem segura depois.. é sempre bom ter uma base, um caminho que a gente possa olhar e ter uma noção de como seguir!
claro, minha família ajuda, mas sabe aquela sensação de você mesma querer fazer as coisas pro seu filho sem ninguém ficar muito em cima?! eu estou assim, querendo aprender tudo antes. rs.
adorei essa dica dos hotéis quando for viajar.
vou fazer meu chá de fraldas semana que vem, já estou quase com 8 meses.. está tudo muito lindinho!!

peguei o e-mail do blog.
qualquer coisa me comunicarei.
xero enorme, continua assim!!

krika (recife- pe)

ce80 disse...

vamos ao lago pela primeira vez nesse findi com nossa boneca rsrsrs praia linda maravilhosa como essa é privilégio do Brasil mesmo!Peguei algumas dicas, valeu!!!Lindas suas fotos, que Deus continue abencoando sua familia lhe trazendo sempre paz e muita saúde!Bjs Cele.

Fabiana disse...

Estou tirando as primeiras férias em familia, e o destino pretendido é Cabo de Santo Agostinho ( Resort Vila Galé). Como vi em seu blog vc disse que ficou frustrada, gostaria de saber onde eles pecaram? A comida é boa? A praia é limpa?Dão atenção especial as crianças? Tem segurança?
São tantos os receios, se preferir pode me responder no email.
Desde já agradeço a ajuda, beijos e tudo de bom!

Mey disse...

Olá Fabiana, sobre o Vila Galé em Cabo do Santo Agostinho para mim foi frustração total, porque pagamos muito caro e eu fui com a expectativa que o Resort teria o mínimo de infraestrutura para um bebê. Cheguei lá o espaço que eles tem para os bebês e crianças brincarem é aberto, uma "choupana", estava sempre sujo e molhado, não tinha monitores ideais nem para crianças maiores. Conversei com a equipe de recreação e eles desdobraram as reclamações sobre as condições de trabalho. No Resort não tinha piscina aquecida, uma que falavam que era aquecida era bem distante de tudo e vivia suja. A cozinha do Resort não é adequada para bebês e eu tinha que todo dia solicitar uma comida especial e enfrentar muita cara feia. Sem contar que avaliando o geral, sem considerar as minhas expectativas maternas, o Resort deixa a deixa a desejar em tudo, a comida é ruim, eles repetem pratos de um dia para o outro, não é padrão de Resort. Em comparação aos outros Resorts que já tive eu detestei. Se você ainda não fechou, escolha outro, em Porto de Galinhas tem outras opções bem melhores. Cabo de Santo Agostinho é longe de tudo, não dá para fazer nada de passeio, você acaba ficando ilhada no hotel.
Bom, espero ter ajudado! Depois você me manda o seu e-mail para conversarmos. beijos, Mey

Fabiana disse...

Oi Mey!
Adorei sua sinceridade, tive uma indicação do Vila Galé (tbm no site Terra), porém prefiro escutar quem já esteve por lá.
Você já ficou em Porto de Galinhas?Tem algum para indicar?
Sei que nas férias temos alguns perreios mas tudo tem limite ainda mais agora que temos nossos principes.
Anota meu email para conversarmos:fsilva@thiollier.com
Bjs

Sabrina disse...

Oi Mey!!!
Acabei de conhecer seu blog, pq procurei no google, sobre a rotina de um bebê de 1 ano (estou sofrendo com as noites do meu, enfim dps comento sobre isso). Daí, olhando outros posts, vi vc alertando sobre o Vila Galé de Cabo. Estou com viagem marcada para janeiro e vou levar meu bebê de 1 ano, que na época estará com 1 ano e 4 meses. Fiquei então preocupada. Pensamos num resort, por causa do conforto, mas vejo que posso me decepcionar. Tinha pensando em Costa do Sauípe, mas acabei optando por lá, pois achei que seria legal. A praia eu conheci qdo estive em Porto de Galinhas. O que mais te preocupou lá foi em relação a alimentação? Vc conhece Costa do Saúípe? Já este lá com o Pedro? Me ajuda....
Ah, adorei o blog... super organizado!! Estarei aqui sempre!
Beijos.