4 de jun de 2013

É preciso equilibrar os papeis de mãe e de esposa


Oi Meninas!
Estou sumida, né? Então, equilibrar os papéis de mãe, esposa e ainda acumular com vida a profissional não é fácil. Estou me virando daqui e dali para dar conta do recado. Eu confesso, tem dias que não sei como consigo. Com a chegada do segundo filho tudo fica mais complexo, dividir a atenção entre os dois não é fácil, ainda mais no meu caso que as necessidades são diferentes - Marina bebê e Pedro no pique total dos quase 5 anos. 
Nesse turbilhão de coisas para fazer, atenção para os filhos, dar conta do trabalho dentro do expediente (o que nem sempre acontece) e ainda gerenciar a casa, funcionárias, listas de compras, vida de dona de casa.  Isso tudo faz com que os cuidados com o maridão e a vida de casal fique de lado. Uma pesquisa feita este ano pela Tríade Consultoria em Produtividade (SP) comprovou o que nós já sabíamos na prática: hoje estamos tão sobrecarregadas que o relacionamento amoroso fica em segundo plano. A empresa conversou com cinco mil mulheres de todo o país, com idade média de 35 anos. Desse total, 78% não conseguiam se dedicar ao companheiro como gostariam - mais da metade delas já era mãe.
Equilibrar todos os afazeres e ainda dedicar tempo de qualidade para o parceiro é uma missão muito dificil, mas não impossível. É necessário planejar, se organizar e principalmente: priorizar! O importante é tentar não se culpar e fazer tudo com amor.
 Você faz o que pode
Equilibrar essa balança não é tarefa das mais fáceis. É preciso ter em mente que a nossa vida se divide em três setores: pessoal, matrimonial e familiar. O primeiro dá conta da nossa individualidade, daquilo que nos proporciona prazer, como o trabalho, a vida social ao lado dos amigos, as idas ao salão de beleza e à academia. O segundo é o nosso momento a dois com o parceiro, o sexo e os planos do casal para o futuro. A esfera familiar engloba a educação, os cuidados com os filhos e as ocasiões de descontração ao lado deles. "Para que todos sejam felizes, a quantidade de tempo que passam juntos nem sempre é mais importante do que a qualidade ou vice-versa. Cada família resolve isso de uma forma. É importante ter a sensação de que você fez o possível e que tudo valeu a pena", explica Lana Harari, terapeuta de casais (SP). No entanto, segundo a especialista, a maioria das mulheres ainda se culpa por achar que não dá atenção suficiente aos filhos.
Coração tranquilo
Para ter a consciência leve quanto à atenção que dedicamos as nossas famílias, em especial às crianças, devemos seguir o conselho do filósofo britânico Donald Winnicott: toda mãe deve ser "suficientemente boa". Ela precisa se adaptar às necessidades dos filhos de acordo com a demanda, sem antecipar medos e frustrações. "Essa mãe olha para o filho como uma parte separada dela, sabendo da sua capacidade de autonomia", completa o autor. Outra dica é pensar que as crianças irão crescer e que, algum dia, serão independentes. "Filhos de pais felizes têm maior probabilidade de serem adultos felizes. E crianças educadas por casais amorosos entre si tendem a formar vínculos afetivos significativos", afirma a terapeuta de casais Lídia Aratangy, autora do livro Novos Desafios da Convivência (Ed. Rideel). Existem motivos melhores para viver bem ao lado do marido e dos seus filhos? Não perca tempo e ajuste a sua vida já!
Acerte os ponteiros
Para dividir o tempo entre filhos e marido é preciso se organizar e colocar os momentos a dois também como prioridade - faz bem ao casal e às crianças. Nesse mês em que comemoramos o Dia dos Namorados, trago algumas idéias para aproveitar ao máximo os momentos ao lado do amado e das crianças:
Tempo para os filhos
• Jogos são ótimos exercícios para o raciocínio lógico dos seus filhos e para mantê-los reunidos.
• Reúna a família para fazer ao menos uma refeição juntos. No café da manhã costuma ser mais fácil conciliar o horário de todo mundo, mesmo que alguém precise acordar um pouquinho mais cedo. Aqui em casa o nosso momento é na hora do almoço. Mesmo na correria da pausa do trabalho a gente reúne todos na mesa e almoça, até a Marina participa. É uma loucura, mas muito gostoso.
• De vez em quando, tire os álbuns de fotos do armário: da sua infância e da do seu marido, do casamento, das férias, dos aniversários e das festas de fim de ano. Reviver bons momentos une ainda mais pais e filhos. Sempre faço isso, principalmente nas crises de ciúmes do Pedro, eu sempre mostro a foto dele na mesa fase da Marina, ele entende que também foi bebê.
• Antes de chegarem as férias, planeje junto com as crianças a próxima viagem que farão.
• Participe da rotina dos pequenos (de preferência com o seu marido): leve ao colégio, ajude no dever de casa, frequente as festas da escola, assista TV ao lado deles...
• Aproveite um dia de folga para fazer um passeio pela cidade como se fossem turistas. Além de algumas horas agradáveis, vocês aprenderão um pouco mais sobre o lugar onde moram.
Tempo para o casal
• Eleja o seu parceiro como prioridade - tudo bem se ele ficar logo depois dos filhos. A feira e a louça suja podem esperar...
• Um programinha a dois não significa, necessariamente, ir a um restaurante espetacular. Curtir um DVD acompanhado de um bom vinho, no sofá de casa, pode ser muito prazeroso.
• Mantenha o carinho em alta: ligue ou mande uma mensagem de texto no meio da tarde, beije o seu marido todos os dias, assista TV abraçadinha nele...
• Compre uma lingerie sensual. Aproveite e faça uma limpeza no guarda-roupa: doe tudo o que usou na gravidez e no pós-parto.
• Tire do seu quarto o berço, as fraldas e os brinquedos dos filhos. Esse espaço é só de vocês!
• Quando as crianças estiverem dormindo, aproveite para colocar o papo em dia. Converse sobre tudo, menos sobre questões que envolvam os filhos. Não permita que o diálogo do casal se resuma à resolução de problemas. Deixe isso para outra hora, ok?
• Estabeleça um dia da semana para o casal e não desmarque - a não ser num caso de emergência. Vale "sequestrar" o seu amor na hora do almoço, por exemplo. Tentem fazer alguma atividade juntos durante a semana, como um curso de dança de salão. Se não for possível, mantenham um hobby em comum ou comecem uma coleção. Isso rende bons momentos a dois.
• As crianças estão de férias? Ótima oportunidade para passar o fim de semana na casa dos avós ou com algum parente próximo. Assim, vocês podem curtir uma lua de mel rápida.

* texto com base na Matéria publicada pela revista Máxima - por Luda Lima

Um comentário:

LuMenezes disse...

Adorei as dicas! Ótimo texto!!!! Essa é a nossa vida...