25 de set de 2013

Mãe de dois: aprendendo a amar as diferenças.


Oi Amigas! 

No mês passado eu celebrei junto com o aniversário do Pedro, cinco anos que sou mãe e mês que vem completarei quase um ano dessa jornada incrível que é ser mãe de dois. Eu confesso, é uma viagem muito louca. São dois seres completamente diferentes, que a gente ama do mesmo jeito, na mesma medida, mas que precisa adaptar a forma de dar amor, pois cada um tem sua forma particular de receber amor. Complexo, né? 

Pois é assim. E eu tenho aprendido muito sobre isso, sobre não tentar formatar a minha relação de mãe com meus filhos. Quando a gente tem um filho mais velho é inevitável não comparar o mais velho com o mais novo. É natural, quase fisiológico tentar aplicar as mesmas lições, a gente quer que o desempenho seja o mesmo, no mesmo mês, a gente quer ter as mesmas respostas para perguntas que são diferentes. Sempre me pego lendo aqui no blog o que o Pedro fazia na mesma idade da Marina, e me deparo com várias diferenças. O desafio disso é entender que a Marina é um indivíduo e ela tem temperamento próprio e nível de aprendizado só dela. O nosso pediatra costuma dizer que isso é síndrome do segundo filho, que estamos sempre medindo o segundo com a régua do primeiro. 

Eu tenho aprendido que isso não funciona e tenho vivenciado a importância de conhecer bem meus filhos, suas preferências, seus traços de comportamento, seus gostos, suas linguagens de amor e tal. Assim, eu fico observando-os para oferecer o melhor de mim para eles. Com o Pedro eu já estou numa fase de "casamento", eu conheço ele há alguns anos e por isso sei exatamente como lidar. Já a Marina estamos nos conhecendo, uma fase de começo de "namoro". 

Ser mãe é isso! Estar em constante aprendizado. Nossos filhos tem muito a nos ensinar, e estou nessa fase, aprendendo a amar meus filhos do mesmo tanto, mas de forma diferente.

Bom, essa é minha reflexão para hoje. 

Beijinhos, Mey 

Nenhum comentário: